plantas podadas

Saiba como e por que devemos podar uma planta

O Especialista em Agricultura Orgânica Thiago Tadeu Campos, a estrutura de uma planta funciona de forma harmônica e sincronizada, os nutrientes são distribuídos de forma igualitária e o crescimento ocorre de acordo com fatores externos, como a posição dos galhos e a direção através da qual a luz atinge a planta. Contudo, quando a planta não é podada regularmente, a distribuição de nutrientes começa a ser prejudicada pela irregularidade do fluxo de seiva.

Assim como cortamos o cabelo para que o mesmo comece a crescer com mais força, precisamos podar as plantas para que recebam um impulso em seu desenvolvimento, e assim consigam crescer de forma vigorosa e se proteger de pragas e doenças, sem a necessidade de agrotóxicos ou insumos agrícolas. A presença de galhos doentes também interfere no crescimento da planta, além de poder vir a comprometer os demais galhos da planta.

Podar uma planta nem sempre está relacionado com intenções negativas ou com a necessidade de reprimir o crescimento de seus galhos, na maioria das vezes, a poda é realizada como forma de prevenção de doenças e potencialização do uso dos nutrientes retirados do solo, garantindo frutos saudáveis e muito mais saborosos.

Compreendendo os diferentes tipos de poda

Enganam-se, no entanto, aqueles que acreditam que podar uma planta é um processo simples e sem critérios. Para que a planta cresça perfeitamente é necessário saber qual tipo de poda a mesma necessita, e como fazê-la sem prejudicar o desenvolvimento dos demais galhos.

Por vezes, a poda tem como intuito deixar a copa mais limpa para a entrada de luz solar, mas em outras situações, podar uma planta pode significar prepará-la para o período de estiagem. Cabe ao produtor conhecer sua plantação e suas respectivas restrições, para somente então, determinar qual o tipo de poda necessário para cada situação.

A Poda de Formação, também conhecida como Poda de Levantamento, é uma forma de moldar a planta ao formato e altura necessários, facilitando tanto o cultivo quanto a colheita. É realizada através da remoção de bulbos dos locais onde os galhos devem parar de crescer, de modo a desenhar o formato da árvore, determinando qual espaço a mesma tem para poder crescer e se desenvolver.

A poda de floração ou de frutificação é realizada para otimizar a produtividade do cultivo, fazendo com que a seiva seja direcionada em maior quantidade para galhos com frutos. O produtor deve saber diferenciar os galhos comuns dos fundamentais, dando preferência àqueles que produzirão uma maior quantidade de frutos e que possuem maior potencial de produção.

Uma vez que a planta estiver aparentando sinais de desgaste, ou começar a adoecer sem uma causa aparente, é necessário realizar a Poda de Renovação, na qual o produtor realizará uma “limpeza” para que a planta encontre energia para crescer de forma vigorosa e com alta resistência às pragas e doenças. Atualmente, é a poda mais comum entre os produtores orgânicos, pois pode ser feita em alguns minutos e oferece resultados duradouros. A retirada de galhos prejudiciais à planta possibilita o crescimento direcionado e uma melhor distribuição dos nutrientes por toda a estrutura da árvore.

Embora não seja uma prática frequente, a Poda das Raízes é realizada sempre que a raiz de uma árvore está se tornando um problema ao proprietário, como a invasão de um terreno alheio ou o empobrecimento do solo. Plantas como o Bonsai, por exemplo, exigem a poda das raízes para permanecer com uma baixa quantidade de nutrientes e manter a planta pequena e charmosa.

Como podar uma árvore

Antes de podar uma planta é preciso analisar todos os fatores externos que cercam à arvore, como a iluminação disponível, a presença de nutrientes no solo e até mesmo o tipo de adubação. Com a poda é possível corrigir esses fatores e fazer com que a planta receba mais nutrientes, apenas reorientando seu crescimento. Uma planta saudável e jovem consegue, na maioria das vezes, realizar o direcionamento de seu crescimento, contudo, uma árvore maior dispende muita energia para tal mudança, restando ao produtor auxiliar em tal situação.

Após analisar o crescimento da planta e o os galhos que necessitam ser podados, o produtor pode começar a poda retirando os bulbos e galhos em suas raízes, a fim de que não voltem a crescer e não venham a machucar durante o manejo ou a colheita. Após o processo de poda da árvore, o produtor pode usar os resíduos de galhos e troncos como matéria orgânica para uma nova adubação.

Ao praticar a desfolha, o produtor deve ficar atento para não expor demais os frutos, retirando apenas uma camada superficial de folhas, fazendo com que o fruto ganhe espaço para se desenvolver ao receber maior quantidade de luz solar.

A poda de árvores necessita ser planejada de acordo com o clima, logo, como a maioria das árvores possui um metabolismo desacelerado durante o inverno, pode dispender sua energia curando as regiões podadas, sem prejudicar a chegada de seiva aos frutos e flores. Plantas como as videiras necessitam de uma poda durante o início do florescimento dos cachos, onde os menores são removidos para que os demais produzam uvas de alta qualidade.

Materiais

Os materiais utilizados para podar devem estar sempre bem afiados para não machucarem o tronco ou protelarem o tempo de recuperação das árvores. Os ramos menores podem ser retirados com a tesoura de poda, já os galhos mais grossos necessitam de uma tesoura de poda de força ou uma serra. Para árvores mais velhas e com galhos grossos e pesados, recomenda-se o uso de motosserras, desde que operadas por profissionais capacitados. Em todos os procedimentos de poda é essencial o uso de equipamento de proteção tal como luvas e máscaras protetoras.

Poda e paisagismo

Por fim, devemos citar a poda presente no dia a dia com intuito estético e arquitetônico: a poda paisagística. Esse tipo de poda é encontrado em arbustos e jardins comuns e até mesmo em hortas orgânicas feitas em casa, pois além de direcionar o crescimento das plantas também oferece um design diferenciadamente belo e agradável ao ambiente. É um processo simples e rápido que renova a imagem do jardim, sem exigir grandes mudanças ou esforços.

 

Fonte: CicloVivo

Categoria: ATUALIDADE

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigo por: nmundoblog