academia

Academia em condomínio

O verão chegou e com ele a animação para praticar exercícios físicos, que podem acabar sendo deixados de lado nos períodos mais frios do ano. Mas se não houver tempo para se deslocar para uma academia, mesmo que seja no bairro, a própria academia do condomínio, que muitos possuem, pode ser uma solução para isso.

Quem tem essa vantagem normalmente pode ir em qualquer horário, já que elas costumam abrir bem cedo, podendo até fechar à meia-noite, como é o caso da academia do condomínio Atmos Greenville em Patamares, que conta com cerca de 15 equipamentos, que, segundo o administrador, Roque Santos, atende bem os moradores do condomínio.

“Por enquanto, o aparelho mais disputado é a esteira, que temos três, mas já foi providenciada mais uma, que chegará em breve. Por isso estipulamos um tempo máximo de uso do equipamento, que é de 25 minutos”, explica Santos.

Essa é uma das regras que eles adotaram, mas quando se fala em academia em condomínio gera algumas dúvidas, principalmente sobre questões de segurança. Se um condomínio decide montar uma academia, ele deve se preocupar principalmente com a manutenção dos aparelhos para que não ocorra nenhum tipo de acidente com os usuários.

Caso aconteça, caberá a ele se responsabilizar pelo dano causado à pessoa. Por isso, é necessário que seja feita a manutenção preventiva, pelo menos uma vez ao mês, como na academia do Edifício Residencial Aquárius, na Pituba, que segue essa norma.

“Não temos muitos equipamentos e quem mais utiliza são os idosos e jovens”, diz Igor Lima, administrador do condomínio.

Segundo o presidente da Secovi, Kelsor Fernandes, não existe um regulamento para todos os condomínios, com regras de como cuidar da sua academia, portanto eles não são obrigados a ter um profissional de educação física para acompanhar os usuários, por exemplo, mesmo que seja uma discussão recorrente quando se fala do assunto.

Mas ainda assim é aconselhável que o condomínio tome algumas precauções ao disponibilizar esse serviço. Se não for possível ter um profissional da área, ter alguém treinado para primeiros socorros é uma opção que pode dar mais segurança.

Além disso, o condomínio pode exigir dos moradores que apresentem uma avaliação física feita pelo seu médico, atestando que ele está apto a praticar exercícios.

Fernandes orienta que independentemente do que for pensado pela administração, tudo deve ser decidido em assembleia com os condôminos e, de preferência, que seja registrado no Regimento Interno, ou pelo menos a decisão seja registrada em cartório para não haver problemas depois.

“Só a assembleia deliberará quais regras devem ser aplicadas e qual é a forma de uso mais adequada do espaço”, explica ele.

Regras mais comuns

Tanto no condomínio Atmos quanto no Aquárius, não é permitido o uso da academia por menores de 16 anos, e no primeiro ainda é necessário que os responsáveis de jovens entre 16 e 18 anos assinem um termo de responsabilidade autorizando que ele utilize a academia.

No Aquárius é exigido que se use tênis.

O Atmos tem no regimento interno, de forma bem clara, que é de responsabilidade do condômino o uso da academia, diz Santos, e como eles não têm um profissional de educação física, dispõem de funcionários treinados para a prática de primeiros socorros, caso seja necessário.

“Existe a ideia de terceirizar a academia, porque acontece muito o mau uso dos equipamentos por pessoas que não sabem utilizar e deveriam ter uma orientação. Isso gera um grande gasto com manutenção para o condomínio. Se isso acontecer, teremos um professor de educação física”, revela o administrador.

Academias nos condomínios

Comodidade – Sem dúvidas a comodidade é um dos pontos mais positivos. Não precisar se locomover para outros locais e poder escolher o melhor horário traz segurança e tranquilidade para quem quer praticar exercícios

Integração – O espaço também ajuda a promover uma maior integração entre os moradores, podendo gerar outras atividades esportivas, que irão motivar não só os frequentadores da academia, mas também outros moradores

Valorização – Ter uma academia também gera uma valorização do imóvel. A onda de praticar atividades físicas já deixou de ser moda e se transformou no objetivo de muita gente, principalmente os mais jovens, que se preocupam com a saúde e o bem-estar.

Fonte: SíndicoNet

Categoria: ATUALIDADE

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigo por: nmundoblog