canos

Equipamentos auxiliam a localizar vazamentos

Problema frequente em unidades e áreas comuns, os vazamentos trazem dor de cabeça para moradores e síndicos.

Um dos vilões dos condomínios, os vazamentos de água podem ser motivo de discussões entre moradores e também um problema para os síndicos. Em geral quando o incidente acontece os moradores acionam o síndico, porém nem sempre o problema é de responsabilidade do condomínio, pois os vazamentos dentro das unidades são de responsabilidade do próprio condômino. Mas o que fazer nessas situações?

Antes de definir a responsabilidade pela manutenção, a dificuldade em resolver a situação também passa por identificar a origem do vazamento. Por isso, ao ser verificado qualquer vazamento a primeira providência é solicitar que um especialista indique a origem do problema. Só então, com a análise profissional em mãos, será possível definir de quem é a responsabilidade e iniciar a solução do caso.

Profissional especializado em caça-vazamentos, Eduardo da Silva Mafra explica que, para identificar o problema, o primeiro passo é estar atento quando há aumento repentino na conta de água. “Recomendamos que os síndicos sempre orientem os condôminos sobre possíveis vazamentos nas unidades verificando torneiras, hidras, caixas acopladas, registros, ralos de banheiros, pois são os principais focos de problemas”, alerta.

No Condomínio Milano, no bairro Abraão, em Florianópolis, o alto consumo de água serviu de alerta para o síndico Fernando Moraes que contratou o serviço de caça-vazamentos e constatou defeito em 70% das válvulas de descarga dos banheiros. “Com a inspeção conseguimos identificar um dos focos do alto consumo de água no condomínio”, relata.

O procedimento incluiu a vistoria em todos os apartamentos, cisterna, caixa d’água e tubulações de água. “Consultei diversos encanadores e optei por este método, pois é o que tem de mais moderno para a localização de vazamento. Além do serviço, solicitei também uma aferição no relógio que vinha apresentando um barulho fora do comum comparado com outros relógios dos condomínios da rua”, descreve o gestor.

De acordo com Eduardo, existem várias técnicas de detecção de vazamentos que vão desde as mais simples até as mais complexas, dependendo do tipo de tubulação que pode ser de água fria, quente ou de esgoto. “A escolha do método dependerá de cada tipo de serviço”, explica.

Como técnica mais comum, Eduardo menciona a verificação da boia, onde se fecha o acionamento da caixa d’água para verificar se o hidrômetro continua girando e ao mesmo tempo marca-se o nível de água dentro da caixa para ver se após uma hora o nível irá baixar. “Nesse caso, é possível verificar se o vazamento é dentro ou fora do condomínio. Mas é importante ter cuidado, pois em muitos casos encontramos armadilhas como encanamentos velhos de uma instalação antiga ligada à tubulação atual”, conclui.

Conheça alguns métodos de detecção

Geofone é o equipamento mais usado e funciona em um processo semelhante a um ultrassom. O aparelho detecta vazamentos pelos sons emitidos através da pressão d’água nas tubulações com vazamento.

O método é considerado seguro, rápido e extremamente preciso e a grande vantagem é que não há quebra de paredes. O equipamento é ideal para qualquer situação, até mesmo para vazamentos na rede de água do condomínio.

Vídeo inspeção é indicada para a análise de tubulações e encanamentos que sejam de difícil acesso ou que tenham baixa luminosidade. É uma técnica muito usada em tubulações de esgoto.

Câmera térmica é uma tendência do mercado atual, porém ainda não tem uma demanda de compra pelos encanadores. A técnica é realizada utilizando uma câmera térmica, onde através do infravermelho é feita a observação de padrões diferenciais de distribuição de calor de um objeto e por meio dessas variações é possível determinar vários tipos de problemas.

Hidrofone é um equipamento muito utilizado em piscinas, pois permite que o operador introduza o sensor diretamente dentro da água sem a necessidade de contratar um mergulhador.

 

Fonte: CondomínioSC

Categoria: ATUALIDADE

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigo por: nmundoblog