rachadura

O que você precisa saber sobre rachaduras em paredes

Às vezes, encontramos alguma rachadura, fissura ou trinca numa parede e nem damos bola, tratando como algo sem importância, superficial. Porém, elas podem significar, em algumas situações, algo grave. Por isso, no post de hoje, falaremos sobre alguns aspectos desse assunto, para te ajudar a identificar e sanar o problema. Confira!

Antes de qualquer coisa, vamos ver as diferença entre esses problemas: fissura é uma abertura fina, alongada e superficial. Atinge, geralmente, a pintura e o revestimento. As trincas atingem a estrutura da parede, podendo afetar a segurança do ambiente. Já as rachaduras possuem aberturas maiores, mais profundas e acentuadas. Se você sente/vê passar luz, vento ou água pela fresta, é uma rachadura.

Como afirmado, não é sempre que elas representam algum perigo grave, como problemas estruturais, mas algumas características distinguem as inofensivas das perigosas. Por exemplo, se elas aumentarem com o tempo, esse é um alerta vermelho. Principalmente se estão em elementos estruturais, como vigas, pilares, lajes ou fundação… Fique ligado! Observe também:

  • Infiltração: caso haja vazamento nos canos, ou se a impermeabilização não foi bem feita, a água vai entrando na parede e, aos poucos, deteriorando-a. Passa pelo concreto, corroendo as armaduras de aço estruturais da casa e, dependendo do tempo do problema, essas estruturas podem se deteriorar.

Por isso, ao observar qualquer vazamento ou infiltração, o indicado é contratar um profissional de confiança para identificar a causa e consertar o vazamento. Se for necessário, dependendo do estrago, ele também pode reforçar a estrutura. Por mais que o problema pareça inofensivo, acredite: é de suma importância procurar ajuda especializada o quanto antes.

  • Lembrando: pintar a parede não resolve a rachadura ou as manchas de infiltração/vazamento. Essa atitude é apenas tapar o sol com a peneira, e, além de se tornar um gasto desnecessário, você pode ficar com a falsa impressão que resolveu o problema.
  • Trincas em áreas de junta: as trincas podem aparecer por muitos motivos, como, por exemplo, em trechos da parede onde materiais diferentes se encontram (como tijolo com madeira). Isso pode acontecer pela ligação de um material com o outro não ter sido feita de forma correta, ou também porque a dilatação dos diversos tipos de materiais é diferente, então, eles acabam se separando.
  • Direção e profundidade: o modo como as rachaduras se apresentam interferem totalmente no diagnóstico do problema. Por exemplo, rachaduras profundas, inclinadas na diagonal, indicam problemas na estrutura, que pode estar refletindo problemas na fundação, nas lajes ou no suporte da casa.

Às vezes, também acontece por excesso de peso, porque foi construído mais um andar na casa ou colocado algum peso sobre a laje (como uma nova caixa d’água). Esses casos podem ser extremamente perigosos, por isso, um engenheiro ou um profissional da Defesa Civil deve ser chamado com urgência, evitando consequências graves.

Já as trincas ou fissuras rasas, na vertical ou horizontal, geralmente são mesmo superficiais e não tão preocupantes, por não terem relação com a estrutura. Nesse caso, pode-se contatar um engenheiro, para que ele avalie a real situação. Para reparar esse problema, um pedreiro deverá usar uma tela sintética ou uma pasta cremosa acrílica (própria para trincas), e depois preparar a parede com massa fina e repintar.

  • Fundação mal feita: caso a fundação não tenha sido apropriada, como a construção de uma casa sobre um solo instável sem o devido cuidado, por exemplo, tenha muita atenção, pois isso pode gerar graves problemas.

Alguns sinais para identificar essa situação: portas e janelas saindo do alinhamento e aparecendo dificuldade para fechá-las, piso inclinado, rachaduras entre o piso e a parede ou o entre a parede e o teto e surgimento de rachaduras inclinadas, que vão ficando maiores, em paredes grandes. Se algo assim acontecer, saia de sua casa e chame a Defesa Civil ou um engenheiro o mais rápido possível.

  • Outras causas: às vezes, esses problemas podem acontecer pelo uso de materiais ruins, como argamassa contendo areia contaminada ou excesso do uso de cimento. Também podem ocorrer quando o projeto e/ou a execução dele forem mal feitos.

Com essas dicas, você pode analisar as características para melhor diagnosticar a situação. Porém, não sendo um profissional da área, não hesite em chamar um, que poderá, realmente, averiguar o que está acontecendo, bem como achar a melhor solução para o problema. Boa sorte!

Categoria: CONDOMÍNIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigo por: nmundoblog